quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

EXCLUSIVO: Entrevista de Jonas para UOL. Jogador vê Grêmio como sua casa no Brasil.

Atacante Jonas ex-Grêmio, atualmente Valência concedeu uma entrevista exclusiva para o portal uol, e mostrou o olímpico e arena como sua casa no Brasil.

Jonas está em alta no Valência, apesar de o clube espanhol ter pagado apenas 2,7 milhões de reais para o Grêmio pelo atacante artilheiro, e com uma saída frustrante, que trouxe uma enorme dificuldade para o ataque gremista na libertadores 2011.

Mesmo assim, Jonas não guarda magoas da torcida gremista, e tem um grande carinho pelo Grêmio e considera o tricolor sua casa na volta para o Brasil, mas pretende fazer muitos anos de Europa, e está muito feliz no Valência, disputando competições importantes.


Vejam a entrevista exclusiva do atacante Jonas por Email para o site da UOL: 

Jonas vê Grêmio sua casa
 UOL Esporte - Jonas, seu momento é exaltado pelo Valencia, que trata você como o melhor investimento do time. Você imaginava um retorno positivo e em tão pouco tempo?


Jonas - É difícil você prever em quanto tempo vai conseguir se adaptar e render o que sabe que pode e o que as pessoas imaginam. Quando vim para o Valencia, coloquei na cabeça que faria o máximo possível para ter sucesso. É preciso superar questões como adaptação a uma nova cultura, saudade da família e dos amigos, diferenças em termos táticos e filosofia de futebol. Mas, graças a Deus, as coisas estão acontecendo de maneira muito positiva.


UOL Esporte - O que achou desse apelido “abridor de latas”? Você gostou? Achou engraçado? Poderiam ter inventado um apelido diferente?


Jonas - Foi curioso. Nós jogamos um amistoso beneficente e eu fiz um gol em que arrancei da intermediária e passei por três ou quatro antes de bater. Aí no outro dia um jornal colocou na capa: Abre Latas. Achei curioso. Mas não me chamam assim toda hora, não. Fico feliz porque foi um elogio. Logo que cheguei, também me chamavam de "Detonador", em função de uma série de vídeos muito legais que um torcedor do Grêmio colocou na internet.


UOL Esporte- Você pretende seguir no Valencia por quanto tempo? Sonha com Barcelona ou Real Madrid. Você estabelece metas para chegar um dia nessas duas potências?


Jonas - Confesso que não fiz planos nesse sentido. Cheguei ao Valencia com contrato longo, até 2015, e com a ideia de jogar o melhor possível para justificar minha contratação e a oportunidade que recebi de realizar um dos objetivos da minha carreira, que era ter uma experiência na Europa. O que acontecer daqui para frente é consequência do meu trabalho.


UOL Esporte - Pela seleção, você marcou gols em amistosos. E quando todos os atacantes estiverem à disposição do Mano Menezes, você acredita que terá espaço em meio a Neymar, Pato, Robinho, Hulk, entre outros?


Jonas - Sei que o Mano conta com muitas opções de qualidade para os diversos estilos de jogo. O leque é grande e qualificado. Eu tenho que estar em alto nível no meu clube para aparecer entre essas alternativas da comissão técnica. O caminho é longo, é difícil, mas estou pronto para brigar por um espaço.


UOL Esporte - No Grêmio você começou de maneira apagada, foi duramente criticado, mas deu a volta por cima. Hoje, grande parte da torcida sente saudade de você. Qual seu sentimento atual em relação a tudo que ocorreu no Grêmio? Pensa em voltar um dia?


Jonas - Eu tenho um carinho enorme pelo Grêmio e pela torcida gremista. Vivi momentos ótimos lá, fiz jogos inesquecíveis. Cheguei como aposta, mas sofri uma lesão grave no Santos. Em 2009 fui artilheiro do Grêmio no Brasileirão e ali o cenário começou a mudar. O ano seguinte foi quase perfeito, faltou só um título nacional, mas conquistei sete prêmios individuais. Quando as coisas vão bem dentro de campo, o torcedor vem junto. Criamos uma relação muito legal. Acompanho o Grêmio sempre que posso, procuro na internet, falo com amigos. Voltar um dia? Considero o Olímpico uma das minhas casas. Mas, no momento, não penso em voltar ao Brasil. Estou feliz no Valencia.


UOL Esporte - Você é uma pessoa tímida, que sempre exaltou a família interiorana e avesso a badalações. Você acha que a falta de “marketing” te prejudicou na carreira?


Jonas - Acredito que não. O que lamento na minha carreira foram as duas lesões graves. Uma quando estava iniciando no Santos, que me deixou mais de seis meses parado, e outra no final de 2009, quando me firmava no Grêmio. Mas em seguida veio 2010 e tudo o que aconteceu de positivo me fez esquecer qualquer situação ruim. Sou muito tranquilo, tive uma criação maravilhosa, faço questão de estar sempre com a minha família, que é a minha rocha, e não tento ser quem não sou.


UOL Esporte- O santista diz que sua “melhor passagem pelo Santos” foi no gol do Grêmio contra o Corinthians, gol que rebaixou o rival do Santos em 2007. Teve sabor especial por ser contra o Corinthians? Como foi o contato com torcedores santistas e corintianos após esse gol marcante?


Jonas - Não tem uma história específica sobre isso. Era um jogo importante, contra um adversário de peso e nós estávamos tentando de todas as formas uma vaga na Libertadores, o que seria muito importante para todos nós. Era só nisso que eu pensava. Nunca concordei com as opiniões que dizem que o Corinthians foi rebaixado por causa daquele gol ou daquele jogo. O Brasileiro é muito longo e a última rodada é só a consequência de tudo o que foi feito antes. Quero deixar bem claro que tenho um respeito enorme pelo Corinthians. As brincadeiras eu deixo para os torcedores.


O interessante, o Jonas sempre fica na internet em busca de notícias sobre o Grêmio, e declara ficar sempre ligado o que acontece no estádio olímpico, isso geralmente significa, que o atacante tem uma enorme grandeza pelo clube do brasil onde passou o seu melhor momento na carreira, num clube com raça e com estilo de imortalidade como o Grêmio.

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. eu fico feliz,em saber que o jonas,o grande jonas que eu vi jogar no gremio e no valencia,sempre que posso vejo um jogo dele,ja que a torcida gremista mesmo posta na net.quando ele chegar os gremistas vão poder gritar,com + orgulho ainda "sou gremista,sim senhor",apesar de que os gremistas nunca negaram que erram gremistas,mas assim como o mestre jonas,eu queria ver a volta do maxi lopez,ele nunca deixou claro,pelo menos pra mim,que não queria voltar pro gremio,mas pra essas estrelas voltar,"guardadas na memoria dos gremistas",a diretoria tem que tentar contratar.

    ResponderExcluir